Dor Aguda – Fisiológica – Nociceptiva 1

Visto no post anterior, entende-se por nocicepção o processo de carreamento das informações de estímulos lesionais ou não da periferia para o SNC, falando assim parece super, mega, ultra simples né?! Mas só parece, pois para existir a nocicepção, há o envolvimento de muitos neuronios e interneurônios em seus muitos tratos e vias, assim como muitos receptores, nociceptores, neurotransmissores e  neuromoduladores, além de estruturas superiores como tálamo, córtex cerebral, sistema límbico, formação reticular, hipotálamo, etc.

Já deu para pereceber que a coisa não é muito simples né?! E que não envolve só aspectos fisico discriminativos como também aspectos sensitivos e emocionais.

Complexo? Pois é, mas o conforto é que isso é o que já é conhecido, sem levar em consideração tudo o que se descobre a cada dia: receptores, moduladores, áreas, enfim… Muito legal! Risos…

Mas de uma forma geral tudo começa em situações parecedidas com estas:

Ufa… Nem o que doi mais perder a Copa ou essas trombadas …

Pena que nem sempre tem essa trilha sonora, risos.

Frente ao estímulo nociceptivo, de origem mecanica ou termica, ou seja aquele que é capaz de ativar os nociceptores tem inicio a nossa viagem…

De maneira didática podemos dividir esse processo em 04 estágios:

1) Transdução: Corresponde a fase em que o estímulo( mecânicos, térmicos, substâncias algogênicas) despolariza os nociceptores.

2) Transmissão: De forma resumida corresponde ao carreamento da informação pelo neurônio sensitivo primário do ganglio dorsal para neurônio sensitivo secundário no corno posterior da medula. Formando o sistema nociceptivo ascendente composto pelos:

* Trato Espinotalâmico – TST – Talvez a mais importante via nociceptiva:

*Trato Espinoreticular – TSR

*Trato Espinomesencefálico – TSM

*Sistema pós sináptico da coluna dorsal – SPCD

*Sistema ascendente Multissináptico próprio espinhal – SAMP

Existem ainda sistemas nociceptivos especiais como o trigeminal e o visceral;

Além de sistemas nociceptivos supra espinhais com o envolvimento do tálamo, hipotálamo, formação reticular e sistema límbico, que participam no aspecto afetivo da dor.

3) Modulação: Corresponde a processos que facilitam ou inibem a transmissão. Poderndo ocorer de 02 formas:

– Por vias nervosas:

*Modulaçao segmentar:

= pelo bloqueio dos receptores ou neurotransmissores das fibras finas primárias;

= pela inibição da liberação desses transmissores

= pelo impedimento da transmissão nociceptiva – Teoria de Melzack e Wall,

* Modulação hetero segmentar:

= Feita pelos neurônios próprio espinhais, formando um sistema antinociceptivo endógeno;

* Modulação supra segmentar:

= diencefalo cortical, substancia cincenta periaquedutal, nucleo magno da raphe e nucleo adjacente, complexo subcoeruleus ;

= reduz pré sinapticamente a liberação de neurotransmissores nas terminações das fibras aferentes; além de inibir interneurônios excitatórios e excitar os inibitórios

– Modulação Neuroquímica: com destaque dos opióides endógenos, peptídeos não opiódes e neurotransmissores;

3) Percepção: Que corresponde ao processo de cognição da dor, tendo relação direta com as vivências anteriores, aspectos culturais e biopsicossocias.

De forma bem clara pela propria anatomia já é visível o envolvimento emocional nos processos álgicos.

Agora imaginem tudo isso acontecendo com o nobre jogador ali de cima…

Doeu…

To be continued…

Carpe Diem & Carpe Noche

Abraços,

IP.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s